As crónicas do Lynx

Uma colecção de pequenas crónicas dedicadas a uma grande paixão de sempre: Viver essa maravilhosa aventura que é o dia-a-dia!

quinta-feira, março 07, 2019

Correr em Abrantes

Que bonita surpresa branca foi Arraiolos. Tão arranjada, tão bem disposta, mesmo tão adormecida neste dia de Carnaval. Sempre a subir ou a descer, por empedrado entre praças e igrejas, buscando o castelo - mas buscando mesmo uma sensação de libertação para o dia, que chega sempre que corro num sítio novo e bonito.

terça-feira, janeiro 29, 2019

Corrida do Fim da Europa

Quando fecho os olhos, muitas vezes é na Serra de Sintra que penso. Conheço bem a serra, para lá do alcatrão, pelas florestas, cabeços, pelos cheiros, pelo arrepio de frescura, pelo vento Norte ou Oeste, pelo Sol.

Por isso, foi um prazer fazer esta corrida.

Uma corrida de 17ks, pelo meio da serra, com partida do centro de Sintra e percurso sempre a procurar o poente, onde o Sol se põe na Europa. Uma corrida de asfalto, sim, mas de asfalto com altos e baixos, árvores, frescura e Sol e vento, a despertar cada sentido.

Senti-me bem nesta corrida. Senti-me eu, mesmo quando subia centenas de metros de uma assentada, ou descia com o vento de frente forte. Ou talvez por isso mesmo.

Para o ano, vou voltar a esta corrida. Quanto à Serra, encontramo-nos sempre, de olhos fechados ou abertos.

terça-feira, julho 24, 2018

Passadiços da Duna da Cresmina e do Guincho

E voltei a correr em trail. Um percurso pequeno, menos de 4 kms, mas rijo - os passadiços da zona do Guincho, incluindo as subidas e descidas das dunas. Cheguei estafado e de sorriso aberto - como deveria ser sempre!

domingo, julho 22, 2018

E lucien le stelle

Se há algo que domina as minhas memórias de infância foram os tempos passados com o meu Pai a olhar o céu noturno. Ouvir as explicações dele, apontando, ensinando-me a distinguir as estrelas dos planetas, a indicar nomes de constelações, a explicar sobre o Universo, o Espaço, e se haveria mais além de nós. Fiquei fascinado para sempre.

Por isso, teve um sentido especial quando, no Sábado, 21, fui com os meus Pais, a Jully e a Carolina a uma observação de estrelas na Praia da Azarujinha. Juntamo-nos a uma pequena multidão para, em silêncio, olhar o céu, apontar telescópios, ouvir, perguntar, falar. Adorei levar a minha filha a algo assim e, se bem que ela ainda não esteja interessada e concentrada em algo para ela ainda tão abstrato, soube que esta foi apenas a primeira de muitas.

Porque as estrelas brilham e os nossos olhos brilham ao pensar nelas.

domingo, junho 17, 2018

Mrginal à noite

Ou como aproveitar a frescura da noite quente a anunciar o Verão. Soube bem.

sexta-feira, maio 18, 2018

Correr em Lisboa

Raramente corro em Lisboa. O facto de não viver realmente na cidade (mas a 25ks de distância) faz com que uma corrida envolva uma deslocação, que tenderá a ser propositada. Mas a cidade vale realmente a pena - e, por isso, investi tempo num pequeno projeto.

Estacionei o carro no Bairro de Alvalade, apanhei o metro para o Rossio e, aproveitando a manhã fresca e semi-deserta de Sábado (um privilégio, não ter ainda Lisboa tomada por turistas), acelerei por um percurso claramente citadino e muito turístico. Rossio, Rua Augusta, Terreiro do Paço (ocupado pelo Festival da Eurovisão), Ribeira das Naus, Cais do Sodré, Bairro Alto, Principe Real, Praça da Alegria, Avenida da Liberdade, Parque Eduardo VII, Avenidas Novas, Avenida da República e Avenida da Igreja até Alvalade. Um percurso fabuloso, 10Ks bem vividos pela cidade e uma certeza - é quase sempre a subir! Mas que bem sabe correr por uma Lisboa de relevo vivo e não por uma cidade qualquer plana e chata! Foi bom e é para repetir!

sexta-feira, maio 11, 2018

Eco Maratona Lisboa 2018 - 21ks

A Eco Maratona de Lisboa. A prova que eu esperava neste meu regresso. Uma prova de trail com partida do centro de Lisboa (Parque Eduardo VII) e que embrenhava pelo meio do Parque Florestal de Monsanto, as suas subidas e descidas de terra, antes de voltar ao local de partida. Um percurso duro e exigente para corredores de cidade como eu.
Por isso, inscrevi-me na meia maratona e não na maratona completa. 21Ks já seriam suficientes num dia que se adivinhava quente (aliás, o mais quente até agora). Mas estava cheio de vontade de voltar a correr na floresta e, como sempre, Monsanto não desiludiu.

Não sei se muitos lisboetas conseguem perceber a maravilha que é ter uma floresta dentro da cidade. Uma floresta segura, bem cuidada, com bons acessos e infra-estruturas. É um local de descontracção e diversão privilegiado. E óptimo para uma corrida de trail.

Apesar do calor (e obrigado a todos os postos de abastecimento e todas as árvores que me proporcionaram sombra durante o percurso), adorei - como já tinha adorado quando fiz esta prova, em versão meio diurna meio noturna, há uns anos atrás. Foram 21ks, 2h23m59s de corrida (com alguma caminhada rápida em subidas mais acentuadas), 430m de desnível, e muita diversão. Para o ano, Monsanto pode contar comigo!